comentar
r, em 19.12.07 às 12:20link do post | favorito

Notícia do Jornal de Notícias...

 

Pais às compras, miúdos entre duendes e palhaços


Para revitalizar o comércio do centro da Amadora, a associação Amadora Viva - criada em parceria pela Câmara da Amadora e a Associação Comercial e Empresarial dos Concelhos de Oeiras e Amadora - inaugurou, ontem, a "A Aldeia do Pai Natal". Um espaço a pensar nos mais pequenos, onde se realizam vários ateliês que entretêm as crianças enquanto os pais fazem as compras natalícias.

Dentro de uma tenda montada no parque Delfim Guimarães, realizam-se ateliês de pintura, jogos e cozinha e diversas actividades, entre as quais teatro de marionetas. Todos os dias, das 17 às 20 horas e, aos fins-de-semana, a partir das 15, pais e avós podem deixar as crianças ao cuidado de 14 monitores que, disfarçados de duendes, estrelas e palhaços, divertem os miúdos. No espaço não faltam os símbolos alusivos à época, como o trenó com as renas e um Pai Natal sentado no trono, que ajudam a alimentar os sonhos das crianças.

"A ideia é oferecer para toda a família uma opção de lazer e entretenimento nesta época do ano, numa cidade que ainda é carente em eventos desta natureza no Natal. Além disso, dinamizar o comércio local, que é a proposta principal de todo o projecto", adianta Rosi Simon, da associação Amadora Viva.

Para pais e avós, o projecto é bem-vindo. "Aos fins-de-semana, nunca tenho onde deixar o meu neto, enquanto faço as compras. Por isso esta é uma óptima iniciativa para mim. Resolve-me o problema", admite Emília Ventura, moradora nas proximidades.

A Aldeia do Pai Natal vai estar montada até dia 22 de Dezembro. "No próximo sábado, temos uma festa de encerramento, onde iremos entregar à associação Cerciama o donativo recolhido num leilão que realizámos no início do mês", revela Rosi Simon. Milene Matos Silva

 

 

Marcadores:

comentar
r, em 18.12.07 às 16:44link do post | favorito
No próximo dia 31 de Dezembro, tem lugar a 33.ª edição da famosa corrida de São Silvestre da Amadora, organizada pelo Desportivo Operário do Rangel e com o apoio habitual da Câmara Municipal da Amadora e do Continente e, este ano também da Europcar.
 Este ano prevê-se a participação de cerca de 800 atletas, com a presença de alguns dos melhores praticantes nacionais e estrangeiros, que irão percorrer algumas ruas e avenidas do Concelho da Amadora, e que serão, certamente, apoiados pelos muitos milhares de espectadores, que todos os anos assistem a uma prova que já passou fronteiras, e é reconhecida internacionalmente.
A prova deste ano conta com uma novidade: a 1.ª Mini São Silvestre, com um percurso de 2 000 metros, sob o lema “Mexa-se! Pela sua saúde”. Esta corrida, com um limite de inscrições de 1 000 participantes, é uma boa opção para quem não quer deixar de participar, mas que apenas pode percorrer pequenos percursos.
A São Silvestre da Amadora é uma das mais importantes provas do calendário do Atletismo nacional e internacional, sendo reconhecida internacionalmente pela IAAF (Federação Internacional de Atletismo), Federação Portuguesa de Atletismo e pela Associação de Atletismo de Lisboa.
Horário
Prova feminina – 18.00h
Prova masculina – 18.10h (todos os escalões)
1.ª Mini S. Silvestre da Amadora – 18.15h
Mais informações
Desportivo Operário do Rangel
Av. Elias Garcia, 41 – Venda Nova-Amadora
Telefone: 21 499 13 83
Marcadores: ,

comentar
r, em 11.12.07 às 15:46link do post | favorito

 

 

 

Notícia do Jornal “METRO”
 
INOVAÇÃO - A Câmara Municipal da Amadora (CMA) vai apresentar este mês uma proposta de transporte público inovador e ecológico, que pretende que comece a circular na zona Norte do concelho em 2009.
 
A autarquia propõe a introdução de uma rede de metro ligeiro de superfície, o que corresponde, segundo a autarquia, ao conceito de “trolley” que existia em Portugal nos anos quarenta.
 
“Trata-se de um transporte eléctrico, logo, é muito ecológico, evitando a emissão de toneladas de CO2”, disse ao METRO Gabriel de Oliveira, vereador da CMA responsável pelos Transportes. “Além disso, o facto de não ter carril dá-lhe muito mais liberdade em relação a um eléctrico normal”, como existe em Lisboa, Porto e Almada, salientou o vereador.
 
“Devido à geometria do terreno da cidade, este é o transporte ideal”, acrescentou
Gabriel de Oliveira.
Outra vantagem apontada pelo autarca é o facto de o raio de viragem destes veículos ser igual ao de um autocarro.
 
“E, ao contrário dos eléctricos existentes no nosso país, que sobem, no máximo, inclinações de sete por cento, este consegue fazer subidas de 15 por cento”, adiantou.
 
Cada carro terá 18 metros, o que equivale a três autocarros, com um braço extensível (dispensa a utilização de carril, mas necessita de uma linha aérea) muito longo. No entanto, caso seja necessário sair da linha, este meio de transporte tem incorporado um motor a diesel. “Se tiver de se desviar de um carro mal estacionado, pode fazê-lo sem interromper a sua marcha”, exemplificou o vereador.
 
Num investimento que pode chegar aos 20 milhões de euros, o autarca garantiu que
este meio de transporte é “cinco vezes mais barato do que o que já existe em Portugal”, disse, referindo-se ao eléctrico.
Mesmo assim, a autarquia não tem condições para assegurar todas as despesas. Os
custos da linha e das composições, que serão construídas pela empresa britânica
Electric Tbus Group, serão em grande parte assegurados pela Dolce Vita, que está a
construir uma grande superfície comercial na Brandoa, freguesia da Amadora, anunciada como o maior centro comercial da Europa.
 
Para já, o metro ligeiro de superfície fará a ligação entre a estação do metropolitano da Amadora Este e da Reboleira, cuja conclusão está prevista para 2009.
Mais tarde, prevê-se o alargamento deste serviço à zona Sul da cidade, onde há um conjunto de grandes superfícies comerciais. “Quando este sistema começar a funcionar, não se vai falar noutro meio de transporte no país”, concluiu o vereador. MARTA COSTA

Marcadores: ,

comentar
r, em 11.12.07 às 10:57link do post | favorito
Notícia do Jornal “METRO”
 
INOVAÇÃO - A Câmara Municipal da Amadora (CMA) vai apresentar este mês uma proposta de transporte público inovador e ecológico, que pretende que comece a circular na zona Norte do concelho em 2009.
 
A autarquia propõe a introdução de uma rede de metro ligeiro de superfície, o que corresponde, segundo a autarquia, ao conceito de “trolley” que existia em Portugal nos anos quarenta.
 
“Trata-se de um transporte eléctrico, logo, é muito ecológico, evitando a emissão de toneladas de CO2”, disse ao METRO Gabriel de Oliveira, vereador da CMA responsável pelos Transportes. “Além disso, o facto de não ter carril dá--lhe muito mais liberdade em relação a um eléctrico normal”, como existe em Lisboa, Porto e Almada, salientou o vereador.
 
“Devido à geometria do terreno da cidade, este é o transporte ideal”, acrescentou
Gabriel de Oliveira.
Outra vantagem apontada pelo autarca é o facto de o raio de viragem destes veículos ser igual ao de um autocarro.
 
“E, ao contrário dos eléctricos existentes no nosso país, que sobem, no máximo, inclinações de sete por cento, este consegue fazer subidas de 15 por cento”, adiantou.
 
Cada carro terá 18 metros, o que equivale a três autocarros, com um braço extensível (dispensa a utilização de carril, mas necessita de uma linha aérea) muito longo. No entanto, caso seja necessário sair da linha, este meio de transporte tem incorporado um motor a diesel. “Se tiver de se desviar de um carro mal estacionado, pode fazê-lo sem interromper a sua marcha”, exemplificou o vereador.
 
Num investimento que pode chegar aos 20 milhões de euros, o autarca garantiu que
este meio de transporte é “cinco vezes mais barato do que o que já existe em Portugal”, disse, referindo-se ao eléctrico.
Mesmo assim, a autarquia não tem condições para assegurar todas as despesas. Os
custos da linha e das composições, que serão construídas pela empresa britânica
Electric Tbus Group, serão em grande parte assegurados pela Dolce Vita, que está a
construir uma grande superfície comercial na Brandoa, freguesia da Amadora, anunciada como o maior centro comercial da Europa.
 
Para já, o metro ligeiro de superfície fará a ligação entre a estação do metropolitano da Amadora Este e da Reboleira, cuja conclusão está prevista para 2009, num percurso de 6,9 quilómetros.
Mais tarde, prevê-se o alargamento deste serviço à zona Sul da cidade, onde há um conjunto de grandes superfícies comerciais. “Quando este sistema começar a funcionar, não se vai falar noutro meio de transporte no país”, concluiu o vereador. MARTA COSTA SANTOS
 

comentar
r, em 07.12.07 às 17:01link do post | favorito
Artis Biennium
Nos próximos dias 8 e 9, os Recreios da Amadora acolhem um espectáculo que pretende comemorar o segundo aniversário do Quorum Ballet.
 
 "Artis Biennium" reúne excertos de vários trabalhos realizados e apresentados por aquela companhia ao longo destes dois anos de actividade e tem direcção artística de Daniel Cardoso, que também integra o corpo de baile.
 
 No palco dos Recreios vão estar ainda os bailarinos Elson Ferreira, Filipe Narciso,
Iolanda Rodrigues, Mónica Gomes e Theresa da Silva C.
 
Recreios da Amadora, sábado, dia 8, às 21h30, e domingo, dia 9, às 16 horas.
Marcadores:

comentar
r, em 06.12.07 às 11:16link do post | favorito
É confrangedor verificar, em pleno Século XXI, a mentalidade Portuguesa no que respeita a mudanças, sejam elas de que índole forem… parece que está tudo bem. Mudar o que quer que seja é que não!!!!
 
Verifiquei esta semana, com estranheza, as movimentações sociais, empurradas por uma força Política, sobre duas pequenas obras no Município da Amadora.
 
Uma é a construção de uma rotunda na Estrada da Falagueira, que irá melhorar as acessibilidades dos moradores (por sinal os mesmos que empurrados vão reclamando), vai servir um novo pólo escolar, composto por um jardim-de-infância, uma creche e um centro de actividades de tempos livres, vão ser criados mais 150 novos lugares de estacionamento, e servirá ainda para apoio a uma faixa reversível a ser instalada na Rua Elias Garcia. Qual é o problema desta obra???? Nenhum!!! A não ser, claro, a grande resistência à mudança e a luta política demagógica e aproveitadora das pessoas….
 
A segunda é a Requalificação do Parque Central, Jardim emblemático do Município mas que necessita de ser intervencionado, modernizado e devolvido aos Munícipes Amadorenses.
 
Para quem conhece o Parque Central, sabe que este é atravessado por uma Rua com circulação automóvel, no novo projecto esta Rua desaparece e dá lugar à união das duas partes do Parque Central, devolvendo aos peões, às crianças, aos idosos e a todos os outros mais segurança, mais espaço de área verde e, naturalmente, mais espaço público de qualidade, ou seja, 6 hectares de lazer, diversão e segurança.
O novo projecto para o Parque vai contemplar novos equipamentos para as crianças e idosos, uma livraria/café, um centro de incentivo ambiental e um circuito de manutenção com cerca de dois quilómetros. Pergunta-se novamente, Qual é o problema desta obra???? Nenhum!!! A não ser, claro, a grande resistência à mudança e a luta política demagógica e aproveitadora das pessoas….
 
 
 
 
Marcadores: ,

VISITANTES
Counter
INQUÉRITO
EM QUE AREA DEVIA A CAMARA DA AMADORA INVESTIR MAIS??
EDUCACAO
DESPORTO
OBRAS MUNICIPAIS
AMBIENTE E HIGIENE URBANA
ACCAO SOCIAL
REQUALIFICACAO URBANA
HABITACAO
CULTURA
ESPACOS VERDES
  
pollcode.com free polls
Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


blogs SAPO
subscrever feeds